Ministério Jovem de Picadas do Sul

Posts com tag “Deus

Aborto: Qual é a nossa posição?

As estatísticas acusam o Brasil de ser um dos campeões mundiais em assassinatos. Como não temos certeza dos números, não podemos afirmar que as milhares de vidas perdidas a cada ano superam os números de outros países violentos como Sudão e Coréia do Norte, onde a vida é ainda mais desvalorizada. E lamentamos os tiroteios nas favelas onde jovens disputam um espaço vantajoso no tráfico de drogas.

 Mas devemos nos preocupar igualmente com a destruição de vidas de crianças antes mesmo de elas nascerem no Brasil. Não é somente nossa geração que mostra uma atitude de descaso diante dos seres humanos fracos e dependentes. Antes de o cristianismo protestar contra o assassinato de crianças não desejadas no velho Império Romano, elas eram abandonadas, expostas ao frio e fome, até a morte aliviar seu sofrimento. Na Idade Média, crianças excepcionais e mentalmente retardadas foram afogadas.

 O pretexto que acalmava as consciências dos assassinos era a suposta ausência de alma nessas crianças. Os nazistas mataram judeus e pessoas com problemas mentais, achando válido o argumento de que, assim, a raça ariana ficaria mais pura. Líderes de governos marxistas acreditaram na evolução materialista sem interferência divina. Assim, foi fácil concluir que não há crime moral nem pecado em, deliberadamente, abortar uma criança antes de ela nascer. Pensando apenas na biologia, a vida começa com a concepção e continua até a morte. É impossível demonstrar um momento em que a alma foi acrescentada ao feto.

 O código genético que controla o desenvolvimento do ser humano existe desde o primeiro momento de união das células do pai e da mãe. O que a criança em formação necessita é um ambiente favorável à manutenção da vida e alimento adequado para sobreviver. A Bíblia não fala diretamente sobre aborto, mas os judeus, através de sua história, trataram a vida com muito respeito. Josefo (Contra Apion II, 202) apresenta a convicção dos contemporâneos de Jesus: “A Lei… proíbe as mulheres de causar o aborto ou destruir o feto; uma mulher que assim faz é considerada infanticida porque ela destrói uma vida e diminui a raça” (citado por E.E. Ellis, Human Rights and the Unborn Child).

O Didaché dos Doze Apóstolos (2.2) do início do século II mostra a posição cristã: “Não procure abortar nem praticar infanticídio”. É impossível escapar da conclusão de que abortar deliberadamente uma criança é pecado grave contra Deus e contra a humanidade. Disse Helmut Thielicke (The Ethics of Sex, 1964, p.227). “Tudo o que é necessário é se referir a alguns fatos simples biológicos para mostrar que o embrião tem vida autônoma, e estes fatos devem ser suficientes para estabelecer seu status como ser humano” (citado por E.E. Ellis, ibid). Os argumentos que persuadiram a maioria dos juízes da corte suprema dos Estados Unidos (Roe vs. Wade) a legalizar e apoiar o aborto se basearam na dificuldade encontrada em definir quando o feto começou a viver.

 As crianças ainda não nascidas foram tratadas como não-pessoas sem proteção da lei. Um minuto depois de nascer, se alguém deliberadamente matar essa criança, a atitude será tratada como infanticídio culpável, com punição severa pela lei. A incoerência da decisão da maioria dos juízes da Suprema Corte torna-se mais do que evidente. A oposição maciça ao aborto legalizado no Brasil pela Igreja Católica Romana tem mantido a posição tradicional – o aborto nunca pode ser justificado. O pensamento protestante justificou o aborto nos casos em que a vida da mãe corria perigo.

 A secularização da sociedade cada vez mais enfraquece as barreiras éticas e religiosas. Os protestantes liberais pouca oposição fizeram à lei americana que favorece a decisão que dava à mulher grávida o privilégio de abortar seu filho se quisesse, sem nenhuma punição do estado. Enquanto a teoria da evolução se torna cada vez mais convincente aos formadores de opinião, apresentada como fato nas universidades e escolas mais valorizadas do país, que esperança haverá para que o aborto se torne mais do que uma decisão puramente privada? Será que os evangélicos vão se posicionar contra o aborto com a convicção daqueles que crêem que Deus é o Autor da vida e somente Ele tem o direito de tirá-la.

Autor: Russel Shedd


Não só de “Fast-food” vive o homem…

Jesus, porém, responde firmemente: “Não só de pão viverá o homem”.
Antes que o Tentador perguntasse: “Mas, então, viverá de quê?”,
Jesus continua: “mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4.4).


Créditos da charge do nosso querido Jasiel Botelho, não o conhece ?
passa lá.
www.jasielbotelho.com.br

comenta aí…


Agradecimento: @JECAMPINAS

‘O amor deixa boas impressões. Paciência, bondade e
encorajamento são boas demonstrações de amor’. Belkis Braz

Somas gratos pela força da @jecampinas


Comenta ae…


Meu Universo!

E demanhã, qual é o seu primeiro pensamento ? Qual teu desejo ?

Comenta aí..


Noite Especial: Sábado agora dia 17 as 19:30hs

Vamos lá galera, altos presente que a JECampinas está no dando,
vai ser altas noite e contamos com você!

Junte-se a nós!

Deixe seu comentário:


Aniversário 3 anos, Ministério jovem de Picadas do Sul



O que fazer nas férias?

Durante o ano, passamos a maior parte do tempo esperando as férias chegarem, mas quase sempre esquecemos de pensar no que vamos fazer com elas. Como o dia-a-dia nos sufoca, vamos agüentando até o limite e, quando elas chegam, nos jogamos nelas por alguns dias como se estivéssemos em coma e depois de pouco tempo vemos que estamos entediados de não fazer nada. Por que isso?

O problema é que a maioria de nós vê o descanso como ociosidade, como um tempo para não fazer nada, ou pior, pensamos que nos momentos de descanso temos que fazer algo útil e aí acabamos fazendo o contrário, trabalhamos. Estas duas visões estão erradas se compararmos com a visão bíblica, em que Deus descansa no sétimo dia. O descanso na palavra de Deus tem o sentido de desfrutar do que se fez e é por isso que o Criador fala que tudo o que havia feito era muito bom. Deus desfruta da criação, em uma mistura de contemplação, cuidado e relacionamento com o homem.

Por isso, lembre-se de que o principio das férias é desfrutar do que você tem feito. Hora de, simplesmente, desfrutar das dádivas de Deus.

Um exemplo prático: chegou a hora de ler o livro que você sempre quis ler, mas nunca precisou. Leia, mas não se esqueça que é para desfrutar, por isso, não se sinta culpado em ler apenas a introdução ou a conclusão. Afinal, depois de ler, você não precisará fazer uma resenha. Ah! Quer mais uma dica? Pare de ler na mesma hora que você perceber que o autor está enrolando.

Faça uma viagem, mas tire menos fotos e olhe mais os detalhes, não corra para visitar todos os lugares turísticos, mas desfrute bem de um lugar apenas, quem sabe até visite um lugar que você sempre foi a trabalho.

Não mande scraps ou ligue para seus amigos, simplesmente apareça na casa deles de surpresa. Leve um jogo de tabuleiro ou um filme alugado, de preferência das antigas, compre muitas guloseimas, você vai ver que não custa muito. E não tenha hora para voltar!

Vá passar uma semana em um desses acampamentos interdenominacionais, mas escolha um apelido bem criativo e se apresente com ele escondendo até o final o seu nome, escolha um quarto que você não conheça ninguém e fuja na última noite para fazer uma serenata com as melhores dos anos 80.

Nestas férias desfrute de sua saúde, amizades e, principalmente, da família. Curta aquilo que Deus criou!

Se você não lembrar de tudo que falei, só não esqueça que o descanso é dádiva do Criador e, principalmente, de usar protetor solar!

Autor: Marcos Botelho

(http://www.marcosbotelhodojv.blogspot.com/2008/06/o-que-fazer-nas-frias.html)


Saia da Caverna

Hoje venho escrever para você que assim como eu está passando por momentos difíceis, momentos de desanimo intermináveis e que não consegue entender o porque de tudo isso. Saiba que você não está só, você não é o único e nem o primeiro a passar por isso, a bíblia já nos fala disso quando conta que Elias o mesmo que orou e caiu fogo do céu esse mesmo fugiu para a caverna esperando a morte (I Reis 19).

 Todos temos momentos em nossa vida que passamos por cavernas, sem entender o porque, todos temos momentos de tristeza profunda, de angústia incalculável, talvez hoje você se sinta em uma caverna, um buraco que ninguém te enxerga. Elias quando estava na caverna achava que era o único que estava passando por aquela situação, Elias estava chateado pois muitos haviam se corrompido e no entanto ele que era um servo fiel a Deus estava sendo perseguido e jurado de morte por Jezabel.

Quantas vezes não nos sentimos da mesma maneira, somos fieis, zelosos com a obra do Senhor como Elias era (leia I Reis 19:14) e mesmo assim somos perseguidos, somos afrontados em nossa fé. Quem já não ouviu a frase ” Deus não vai te ouvir” ou ” Esquece esse Deus “, Elias quando foi para a caverna estava se sentindo da mesma forma que você ao ouvir esta frase, ele se sentiu sozinho como você se sente hoje. A Bíblia conta que Deus mandou Elias sair da caverna para lhe mostrar que ele não estava só, mostrou a Ele que ainda tinha sete mil que não haviam se prostrado a Baal, da mesma forma Deus te manda sair desta caverna, você não está só nesta batalha.

A bíblia conta que Elias não morreu pelas mãos de Jezabel como ele achou que morreria e nem se quer a morte tocou nele, Elias subiu ao céu em uma carruagem de fogo, a morte não o conheceu, da mesma forma você não morrer nessa luta, Deus tem um plano de vitória traçado para você, basta que mais uma vez você tome forças e saia desta caverna.

Talvez se Elias tivesse desprezado a voz do Senhor e continuado na caverna Jezabel o teria encontrado e o matado e Elais morreria sem saber o que Deus havia preparado pra ele, por isso hoje peço que não desista ainda. Deus hoje tem um alimento novo preparado pra você, Lança o teu cuidado sobre o SENHOR, e ele te susterá; não permitirá jamais que o justo seja abalado (Salmo 55:22).

 

Fonte: http://vocecomdeus.com/category/mensagens/


Criação ou Acaso?

A Bíblia diz que Jesus Cristo é “a verdadeira luz que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem”, que Ele “estava no mundo” e “o mundo foi feito por intermédio dele” (João 1.9-10). Como homens modernos, quando nos perguntamos se somos criaturas de Deus ou produtos do acaso, resultados da evolução do Universo, temos uma clara resposta nos versículos acima: Jesus Cristo é a Luz de Deus e tudo foi feito através dEle!

ESTELAR

 Todo homem que vive na terra tem uma noção de que Deus, o Criador de todas as coisas, existe. Muitos cientistas, simplesmente observando o microcosmo e o macrocosmo, tiveram que admitir: não se trata de acaso, mas da criação de Deus! Por isso, a Bíblia nos diz que, se quiserem, os homens podem reconhecer a Deus por meio das Suas obras na natureza: “porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.

Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas” (Romanos 1.19-20). Naturalmente pode-se rejeitar esse reconhecimento, prejudicando a si mesmo. Quantas vezes admiramos o verde na natureza, produzido pela seiva das plantas. Essa força é a vida procedente de Deus. O homem não tem condições de dar vida a uma árvore sintética, mesmo conhecendo sua composição química. A vida para o crescimento das plantas, dos animais e do homem não pode ser produzida, pois é uma dádiva, uma criação de Deus.

 Um avô estava passeando com seu neto por um parque. Eles pararam diante de uma gigantesca árvore. O avô explicou à criança que essa árvore tinha sido plantada pelo pai dele. A criança ficou muito admirada, achando que o bisavô tinha sido muito mais forte que o avô, para poder carregar e plantar uma árvore tão grande. O avô sorriu e explicou ao neto como isso tinha acontecido: “Veja, as pessoas não podem fazer árvores.” Apanhando uma semente do chão, ele continuou: “Aqui está contido o segredo da árvore. Dentro dessa pequena semente existe maravilhosa vida, criada por Deus. Tudo que a árvore será e terá, está dentro desta semente. Assim, há 60 anos, meu pai enterrou uma semente dessas e dela nasceu essa grande árvore.” A criança ficou admirada com as palavras do avô e compreendeu algo importante: nada foi produzido pelo homem, não houve acaso, mas realizou-se um programa estabelecido por mãos superiores, a criação de Deus! Assim é também com o homem.

Com você e comigo. Somos criaturas de Deus, destinadas a viver pela força de Deus e para Ele; a experimentar a maravilhosa vida de responsabilidade, em liberdade e paz divinas. Pois, após ter criado os homens, Deus disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre todo animal que rasteja pela terra” (Gênesis 1.28). Mas o homem somente pode suportar essa grande e maravilhosa responsabilidade quando está em estreito contato com seu Criador. Quando não é assim, acontece o caos, como vemos atualmente no meio ambiente, na economia, na política, no convívio entre os homens. Pois entre Deus, nosso Criador, e o homem, infiltrou-se o pecado, a vontade própria do homem.

O homem não atende mais à orientação e à voz de Deus, passando a fazer o que lhe traz a destruição no presente e na eternidade. Entretanto, como nosso Criador nos ama, Ele não assistiu inativo à destruição do homem. Pelo contrário, Ele providenciou a salvação, que nos oferece a vida para a qual Ele nos criou: a vida de liberdade, paz e alegria nEle. Deus enviou Jesus Cristo, Seu Filho unigênito, para quitar por nós o preço da reconciliação, que tinha de ser pago pelos nossos pecados, porque transgredimos os Mandamentos de Deus. Por isso a Bíblia, a Palavra de Deus, diz em Romanos 6.23: “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” Jesus morreu na cruz do Calvário em Jerusalém e ressuscitou dos mortos para que, se você crer nEle e Lhe confessar seus pecados, Ele lhe possa dar uma nova vida da parte de Deus. Faça isso falando com Ele em oração!

 (Herbert Nötzold – http://www.ajesus.com.br)


1, 2, 3… Muitos!

Continuamente somos registrados, contados e classificados. Censo, número de consumidores, estatística de usuários, levantamento de dados… As contagens mostram que somos muitos, que o mundo está cada vez mais cheio de gente e que as pessoas podem ser classificadas de muitas maneiras diferentes. Mas isso é tudo o que o homem consegue: tentar colocar ordem no caos, atribuir sentido a um todo que parece não fazer sentido algum.

numeros

Você conhece a velha pergunta: “Por que nasci?” Sim, por quê? Faz sentido nascer, viver e morrer? Não devemos nos admirar se tudo fica sem sentido quando nos desligamos de Deus. Ele tem um plano para nossa vida. Não podemos esperar encontrar sentido na vida se vivemos contrariando Seus projetos. Mas continuamos tentando. Somos teimosos. E o resultado é um mundo que parece um formigueiro, cheio de pessoas andando em todas as direções, menos na única direção certa, que é aquela que Deus quer. Uma, duas, três… muitas. Não é possível contar todas as pessoas que vivem sem sentido na vida.

Você é uma delas? A boa notícia é que o sentido da vida pode ser encontrado, que há razão para viver. Foi para isso que Jesus morreu e ressuscitou. Crendo nele podemos chamar a Deus de Pai e nos tornar infinitamente valiosos para Ele. Nossa vida adquire sentido. Para Deus não sumimos na multidão. Ele não apenas nos conta e nos registra. Ele pensa em nós. Em cada um de nós. Não somos minúsculos grãos de areia perdidos no espaço. Somos amados por Deus. Aproveite essa chance! Não se esconda.

Busque a Deus!

 

Fonte: http://www.ajesus.com.br